Buckcherry: filhos legítimos do hard rock de Los Angeles

Acumular indicações ao Grammy, frequentar charts da Billboard e ainda participar como convidados especiais do programa That Metal Show, não são feitos comuns para bandas de hard rock com menos de duas décadas de existência.

Também não seria leviano afirmar que o Buckcherry é o filho caçula do legítimo hard rock cultivado em Los Angeles na década de oitenta, citando especialmente o Motley Crue  além dos fortes traços de influência do Guns N´Roses em sua sonoridade.

Tudo teve início quando um tatuador apresentou o vocalista Josh Todd ao guitarrista Keith Nelson que descobriram uma afinidade musical através do Ac/Dc e que motivou a dupla a montar uma banda em meados da década de 90. A eles também se juntaram o baterista Devon Glenn e o baixista Jonathan Brightman para montar o Sparrow que mais tarde mudou seu nome para Buckcherry. Além da inspiração com o jogo de letras do ícone do rock Chuck Berry, o grupo afirma que também esse era o nome utilizado por uma drag queen conhecida da galera.

Com essa formação foram para o estúdio gravar o aclamado disco de estreia autointitulado e lançado em 1999. Sucesso de crítica e vendas, a banda marcou época com singles como “Lit Up”, “For The Movies”, “DeadAgain” e “Check Your Head”, que levaram o álbum até honrosa posição 74 da Billboard americana.
Logo após a gravação do debut, a banda adicionou mais um guitarrista à sua formação, sendo convidado Yogi Lonich para ocupar o posto. Foi uma turnê extensa que incluiu a participação na questionável versão contemporânea do Woodstock, que foi realizada trinta anos após a inigualável edição original.

O segundo álbum “Time Bomb” foi lançado em 2001, porém não manteve a mesma pegada dos anteriores e foi considerado por muitos uma decepção. Esta constatação abalou a estrutura da banda, provocando a substituição de três integrantes, sendo mantidos apenas os membros fundadores, Josh Todd e Keith Nelson. Com a nova formação, tentou-se a gravação de um terceiro álbum que nunca foi concluído, motivando a suspensão das atividades da banda em julho de 2002.

Antes do retorno, a dupla ainda participou de um concerto tributo ao falecido baterista Randy Castillo, acompanhados com os ex Guns N´Roses: Slash, Duff McKagan e Matt Sorum. Esta experiência proporcionou ao vocalista Josh Todd a oportunidade de participar do projeto que viria a ser o Velvet Revolver, mas depois de passar um mês no estúdio com os integrantes, ele foi sacado da banda pelo Slash, que alegou estar descontente com sua voz e por este motivo acabou chamando Scott Weiland para assumir o microfone.

Apenas em 2005 a dupla Todd e Nelson decide retomar as atividades do Buckcherry com uma formação totalmente reformulada, apresentando Stevie D. (guitarra), Jimmy “Two Fingers” Ashhurst (baixo) e Xavier Muriel (bateria). Com energia renovada, lançam no ano seguinte o álbum “15”, seu maior sucesso comercial que recebeu discos de platina nos EUA, Canadá e que contém singles como “Next 2 You”, “Everything” e “Sorry”. Neste mesmo álbum também figura a polêmica “Crazy Bitch”, que motivou um processo contra a banda movido por uma fã de 16 anos que participou de uma campanha que convocava garotas a participar de um vídeo promocional da música, que claramente incentivava o erotismo e foi amplamente divulgado na internet.

Em 2008 o Buckcherry integrou o cast do Crue Fest, ao lado de nomes como Papa Roach e Sixx: AM. No mesmo ano disponibilizam nas lojas seu quarto álbum de estúdio, batizado “Black Butterfly” e que estreou diretamente na 8ª posição da Billboard, sendo o registro de rock melhor posicionado naquela semana.

Um ano depois, a banda foi convidada para abrir os shows da turnê do Kiss que passou pelos EUA e Canadá. E foi do próprio Canadá que a banda gravou seu primeiro disco ao vivo, Live & Loud 2009, reproduzindo em áudio toda a energia que a banda transmite em suas apresentações.

Em 2010 chega o quinto registro do grupo “All Night Long”, cuja faixa título foi disponibilizada para download gratuito incentivando os fãs a postarem mensagens no facebook e twitter. Mais um álbum da banda a figurar no Top 10 da Billboard em sua semana de lançamento.

Em meados de 2011 a banda passa pelo Brasil abrindo os shows do Motley Crue, recebendo boa aceitação do público que aplaudiu entusiasmado a apresentação. No ano seguinte iniciam a gravação de um novo álbum de onde extraem “Wherever I Go”, uma faixa composta exclusivamente para a trilha sonora do filme “Os Vingadores”. Em fevereiro de 2013 chega o sexto e mais recente registro do grupo “Confessions” que mantém a mesma vibração dos últimos lançamentos e coloca a banda em extensa turnê na estrada para divulgação de seu trabalho.

Ainda como parte do pacote de lançamento do novo álbum, também está sendo preparado um filme curta metragem de 30 minutos baseado na faixa “Sloth”, que narra o trágico suicídio do pai de Josh Todd quando ele tinha apenas 10 anos de idade.

Fonte: Buckcherry: filhos legítimos do hard rock de Los Angeles http://whiplash.net/materias/biografias/179357-buckcherry.html#ixzz2gPLQvofN

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s