B 52: relembrando sucesso no Rock In Rio de 1985

Nos anos oitenta, penteados imensos, figurinos de brechó e música dançante puseram na vanguarda do pop a banda americana B-52’S. Nome em homenagem a um enorme bombardeiro da Guerra Fria. A “New Wave” já não é tão nova, mas a banda continua se divertindo nos palcos e retorna ao Brasil em Outubro.

Se você frequentou festinhas da década de 1980, com certeza se lembra deles. Foram 16 anos sem gravar. No ano passado, os percussores do “New Wave”, Fred Schneider, Cindy Wilson, Kate Pierson e Keith Strickland decidiram cair na estrada de novo. Com a irreverência de sempre…

O nome da banda é uma gíria do sul dos Estados Unidos para os penteados bufantes, em forma de colmeia, que as vocalistas usavam no começo da carreira. “Sonhei com esse nome e acordei achando uma ótima ideia. Na época era moda usar abreviações em nomes de bandas”, conta Keith.

Depois de 30 anos de carreira, os cabelos do B´52S mudaram, mas a vontade de se divertir no palco é a mesma. “As pessoas realmente se libertam quando vão aos nossos shows. Parece que ali finalmente eles têm uma chance de dançar mais livremente, sem vergonha”, disse Kate.

As lembranças do Brasil são muitas. E boas. “Fomos para Salvador, foi lindo. Lembro dos prédios de cores diferentes. De repente, um banda de percussionistas apareceu tocando no meio da rua. E eu pensei: que lugar é esse? Incrível”, relembra Keith.

No Rock In Rio de 85, o B´52S tocou para a maior platéia da história do grupo. 200 mil pessoas. Foi depois dessa visita ao Brasil que eles beberam da fonte da Bossa Nova. Gravaram o single: “A garota de Ipanema Vai para a Groenlândia”. “Quisemos levar a garota de Ipanema para um lugar totalmente diferente, para ela se conhecer melhor”, brinca Cindy.

O B´52S nasceu no estado americano da Geórgia, mas o blues, ritmo típico da região, surge escondidinho no estilo único criado pela banda. “Nossa música tem muita influencia do R&B. Dá para perceber isso na batida da música ‘Private Idaho’. Se você diminuir a velocidade da música, vai perceber que se trata de blues, mas é claro que nós fizemos uma versão em ritmo mais rápido, ritmo punk”, afirma Keith.

O que era punk, hoje é chamado de ploc. Não importa. Plocs ou punks, roqueiros ou bluseiros. O B´52S continua muito divertido.

A banda se apresenta dia 4 de outubro no Vivo Rio, no Rio de Janeiro, e no dia 5, no HSBC Brasil, em São Paulo.

Informações sobre valores de ingressos:
http://www.hsbcbrasil.com.br
http://www.vivorio.com.br

Texto: Jornal da Globo

Fonte: B 52: relembrando sucesso no Rock In Rio de 1985 http://whiplash.net/materias/news_824/187352-b52s.html#ixzz2e1oma1y8

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s