Base Rock: levantando a bandeira do Rock autoral

 

Sioux 66, Burlesca, Mattilha, Shocker, Trezzy e SUN juntos na Base Rock / Foto: Ale Cole

Sioux 66, Burlesca, Mattilha, Shocker, Trezzy e SUN juntos na Base Rock / Foto: Ale Cole

A Base Rock deu as caras em sua festa de inauguração, ocorrida no último dia 20 de setembro no Hole Club, em São Paulo (SP). Na ocasião, se apresentaram as bandas SUN, Burlesca, Mattilha, Sioux 66 e Shocker. “Tudo o que fora projetado no papel se materializou em uma noite insana. Através de pocket shows das bandas da Base Rock, levantamos a bandeira do Rock autoral, que foi muito bem recebida e aplaudida pelos convidados de nossa festa”, destaca o guitarrista da Mattilha, Victor Guilherme. “Sentindo aquela energia monstra, a amizade e união entre as bandas, além da reação do público e da imprensa, é de se orgulhar e acreditar que o Rock’n’Roll nacional está vivo e tem futuro”, acrescenta.

Segundo o baixista Fabio Bonnies (Sioux 66), este tipo de realização vinha sendo comentada há muito tempo em São Paulo, mas não saía do papel. “Esse papo já rolava nos bares e clubes pela noite, mas o que se via até então eram bandas tentando seu lugar ao sol sem se quer olhar para o lado. No entanto, uma cena, um movimento, não se faz sozinho. Encontramos pelo caminho bandas que compartilhavam do mesmo pensamento e tinham a mesma vontade, mas precisou que um idealizador juntasse tudo isso, no caso o nosso brother Ma Giovaninni. Assim surgiu a Base Rock, com as bandas Trezzy, Mattilha, Burlesca, Sun, Shocker e Sioux 66”, explica.

Até a realização do primeiro evento foram reuniões e planos baseados na filosofia de criar um movimento de bandas tocando suas músicas autorais. “Vimos isso acontecer com outros estilos de música, mas nunca com o tipo de Rock que gostamos. Existem outros grupos de bandas por aí, como a Jam da Gang da 13, idealizada pelo Marcelo Pimentel, que a Sioux também faz parte. A Base Rock não está sozinha e esperamos poder contar com mais bandas daqui para frente além, é claro, com o apoio do fã de Rock que não aguenta mais sempre as mesmas bandas tocando nos bares, clubes e rádios do Brasil. Não queremos tirar o espaço de ninguém, mas reivindicar o nosso lugar”, enfatiza Fabio Bonnies. “Os músicos e integrantes da Base Rock plantaram a semente, o público compareceu e houve apoio da mídia. Penso que daqui para frente, no que depender de todos nós, a cena irá crescer para mostrar a nova cara do Rock nacional. Temos que fazer o Rock voltar ao seu lugar de destaque”, completa.

Para Jedai W. Rock, vocalista da Burlesca, seria um desperdício não unir forças com outras bandas de São Paulo. “Vivemos na maior cidade da América Latina e fazemos Rock’n’roll nela. Seria um desperdício não unir forças com as bandas daqui mas, felizmente, todo este barulho que fizemos provou que estamos no caminho certo”, diz. “O mais legal foi receber o feedback de outras bandas após o evento e durante a divulgação, enviando mensagens de apoio e querendo estar junto da Base Rock. Sabemos que não estamos sozinhos nessa…. ‘mi mi mi’ não faz Rock’n’Roll, empenho e foco sim”, conclui o vocalista.

Mais informações é http://www.baserock.com.br/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s