2012/02/25 – Resenha Haggard

À primeira vista você já percebe que o Haggard não é uma banda como estamos acostumados a ver, afinal são mais de 10 músicos em cima do palco, coisa que nem a trupe do Slipknot consegue bater… E então você percebe que realmente eles não são algo que você vê com freqüência…

Esse era o primeiro show no Brasil da, acho que podemos considerar assim, Orquestra Haggard. O que levantou várias dúvidas como: que setlist será que farão, como soam ao vivo, será um bom show… Essas e muitas outras perguntas foram respondidas na noite do dia 25 de fevereiro, no Carioca Club.

Embora a casa tenha atrasado para abrir, o Haggard subiu no horário estipulado, com a banda lotando o pequeno palco do Carioca Club.

O maestro da noite, Asis Nasseri, logo nas primeiras músicas, pediu ao público que acompanhassem com palmas. Ao lado do vocalista, a soprano Susanne deixou todos impressionados, com sua extensão vocal, roubando a cena e deixando muitos fãs extasiados, em músicas como “Upon Fallen Autumn Leaves”.

Felicidade e emoção era algo claro nos olhos dos músicos que preparam vários momentos especiais para a noite. Com certeza, um desses momentos aconteceu quando Asis, Claudio e Giacomo simplesmente desceram do palco e foram tocar “literalmente” com o público. Sim, eles desceram do palco para a pista. Asis foi ao fundo da platéia, Claudio e Giacomo passaram pela mesa de som e deram uma volta pelo Carioca Club. Surpreenderam à todos por lá. Durante esse “passeio” de vocal, guitarra & baixo, o restante da banda aproveitou para vir a frente do palco, já que alguns integrantes ficaram escondidos durante boa parte do show.

Em outro momento, o maestro perguntou ao público se alguém ali era estudante de canto e duas fãs foram convidadas a compartilhar o palco com a banda e fazer trio com Susanne. As duas devem estar sem dormir até agora, por fazer parte de algo tão especial.

Com um set list curto, por causa do contrato da casa, Asis disse que era hora de encerrar o show, mas que eles estavam tão a vontade no Brasil, que tocariam por mais horas a fio. Aproveitou ainda para mais uma vez agradecer os fãs.

E então veio o ponto mais alto, mais surpreendente e mais emocionante da noite: a Orquestra Haggard executa o Hino Nacional Brasileiro perfeitamente e é acompanhado pelo público, que canta nosso hino.

Depois de conversar mais uma vez com o público, afirmando ser uma honra tocar nosso hino, pediu ao público que gritassem, para marcar o fim da apresentação.

E, com Awakening The Centuries, o HAGGARD termina sua apresentação em terras tupiniquins, seguindo para a Colômbia.

Parabéns ao HAGGARD pelo talento, profissionalismo e simpatia, que essa seja a primeira de muitas apresentações por aqui.

Banda:
Asis Nasseri – vocal, guitarra
Susanne Ehlers – soprano
Giacomo Astorri – baixo
Claudio Quarta – guitarra
Hans Wolf – teclado
Luz Marsen – bateria
Catalina Popa – flauta
Stefana Saban – oboé
Anna Möllers – violino
Johannes Schleiermacher – violoncello
Judith Marschall – violino

Set List:

1. Pestilencia
2. Heavenly Damnation
3. The Final Victory
4. The Observer
5. In a Fullmoon Procession
6. Upon Fallen Autumn Leaves
7. The Days Has Heaven Wept/ Origin Of A Crystal Soul
8. The Sleeping Child
9. Eppur Si Muove
10. In Des Königs Hallen
11. Tales Of Ithiria
12. Lost (Robin’s Song)
13. Herr Mannelig
14. Per Aspera Ad Astra
15. Hino Nacional Brasileiro
16. Al Inizio È La Morte
17. Awaking The Centuries

Agradecimentos: Dark Dimensions, The Ultimate Music Press & Costábile Salzano Jr.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s