2010 – SHAMAN Origins Tour

SHAMAN / ORIGINS

(+ DVD: SHAMAN & ORCHESTRA)

 Após os excelentes CDs “IMMORTAL” (2008) e o DVD, “ANIME ALIVE” (2009), uma das mais importantes bandas paulistanas de todos os tempos, lança em setembro de 2010, um novo álbum, voltando a ocupar automaticamente, posições de destaque na cena internacional do Metal, local onde sempre esteve presente desde sua formação.

Sim, o SHAMAN está de volta! E estamos falando do novo disco da banda.

Quando todos esperavam o fim do SHAMAN, devido á volta do baterista Ricardo Confessori, líder e único remanescente original do SHAMAN, ao grupo que lhe rendera fama mundial, o ANGRA, eis que, inesperadamente, como uma fênix, que se ergue das cinzas, o SHAMAN volta a nos oferecer um novo álbum, uma coleção fantástica de músicas inéditas, amarradas por um conceito incrivelmente inspirado.

O CD intitula-se ORIGINS.

Além disso, junto a esse CD foi incluído na mesma embalagem, o DVD “SHAMAN & ORCHESTRA”, no qual acompanhados pela Bouslav Prague Orchestra e conduzidos pelo conceituado maestro Turco “Musa Goçman”, apresenta a banda num dos mais emocionantes concertos de sua carreira metálica, realizado na República Tcheca em 2009, durante o Festival “Masters of Rock of Prague”.

ORIGINS / CD

O CD “ORIGINS” narra, através de 10 canções, a saga de Amagat, menino nascido em uma tribo na longínqua Sibéria, lar dos primeiros Xamãs.

Sua historia pessoal tem inicio quando alcança a “Idade do Guerreiro”, período que os líderes de sua tribo acreditam ser a idade de transição entre a criança e o adulto.

Amagat, de índole pacífica, recusa-se a passar pela iniciação do guerreiro fugindo da aldeia, pois não acreditava nesse caminho imposto por sua tribo.

Inicia, assim, uma longa peregrinação solitária.

Nessa jornada conhece a si próprio, supera suas limitações e descobre o significado da vida. Com humildade, Amagat percorre os dez estágios que o levam á Iluminação, atingindo então, a total comunhão com a Natureza e o “todo”.

Retorna então, á sua tribo e é recebido como um iluminado, conectado com a energia formadora do universo e líder espiritual de todo seu povo.

(Leia no Myspace da banda a história completa de “Amagat”, myspace/shamanimmortal).

A saga de Amagat é uma daquelas fábulas atemporais, sem datas ou períodos históricos relevantes, mas que trata, sobretudo, da trajetória espiritual de todos os homens.

O árduo caminho, espiritual e humano, que nos leva da ignorância á sabedoria, das trevas á iluminação. Do espírito cercado de medo e superstição ao espírito simplesmente conectado ao “todo”. Eis a lenda de Amagat. Eis a historia do SHAMAN.

THIAGO BIANCHI, letrista do grupo, inspirou-se em contos ancestrais, vindos de todas as latitudes do planeta, para criar a lenda de Amagat.

Uma fábula simples e humana, mas que ainda sim, carrega consigo grande carga emocional e de significados que revelam os arquétipos místicos de todas as civilizações, mas que sob um olhar mais profundo, percebe-se claramente, que independente de onde viemos ou pra onde vamos, não importa realmente, mas sim, se estamos conectados a vida.

Musicalmente, “ORIGINS” é uma obra impecável, onde técnica, “felling” e profundidade literária se unem numa única forma de energia. Donos absolutos de seus recursos expressivos, os músicos do SHAMAN, nos proporcionam, através de uma linguagem musical que reforça a identidade da banda, uma viagem sem precedentes através da batalha “ego” x “luz”, expondo as inúmeras “armadilhas” que formam nosso inconsciente individual e coletivo, numa eterna luta para se desprender dos valores mundanos, abraçando assim o “cosmos”, o “todo”.

As dez canções do disco são assinadas por todo o SHAMAN, tendo como base de composição, THIAGO BIANCHI e FERNANDO QUESADA, respectivamente vocalista e baixista da banda, que com talento incomum para criar letras e melodias, ditam o “caminho musical” do álbum.

A participação de RICARDO CONFESSORI, baterista, e LEO MANCINI, guitarrista, foi decisiva na elaboração dos arranjos e na concepção geral da sonoridade do disco.

A exceção é a faixa “No Mind”, composta pelo guitarrista LÉO MANCINI e letra de THIAGO BIANCHI.

Todas as faixas são excelentes, mas destacam-se, logo á primeira audição, a incrível “Lethal Awakening”, por sua velocidade e “altura de voz extrema”, a espetacular e pesadíssima, “Inferno Veil”, as enigmáticas “Ego” , part “I e II” (1o ‘single’ do disco), a bela e viajante “Finnaly Home” (vídeo-clipe), a candidata a “hino” “Rising Up To Life”, a ‘hard metal “No Mind’, conduzida com ‘know-how’ pelos especialistas do ramo, Ricardo Confessori e Léo Mancini, seguida da apoteótica “BLIND MESSIAH” e da pungente balada “Signed, Sealed & Delivered”, outra balada que encerra com chave de ouro essa obra-prima.

O disco ainda trás uma ‘intro’ e ‘altro’, muito interessantes, onde em sua audição, é claramente possível se sentir em meio aos acontecimentos da vida de Amagat, graças ao emprego da mais avançada Tecnologia de Áudio 3D.

Todas essa composições causam impacto instantâneo, não apenas pela execução irretocável e profundamente perfeccionista dos músicos, mas também pelas linhas melódicas incrivelmente inspiradas e arranjos bem construídos.

Os ‘riffs’ poderosos e eletrizantes disparados por LEO MANCINI, além das levadas harmônicas, os solos e os timbres de sua guitarra, são também estritamente irretocáveis e explodem á velocidade da luz, em sua execução inspiradíssima.

Batera e baixo, fazem o “motor” desse petardo soar ainda mais poderoso, com levadas incrivelmente bem estruturadas e dinâmicas, tocadas com habilidade incomum por FERNANDO QUESADA e RICARDO CONFESSORI.

Fechando o quadro, temos a brilhante atuação vocal de THIAGO BIANCHI,  que é um daqueles cantores que “faz o que quer” com a voz, onde só é possível se dar conta do grau de técnica empregado em suas linhas, quando se tenta cantarolá-las. Impressionante!!!

Mais uma vez a banda contou com a colaboração dos super experientes músicos, FABRIZIO DI SARNO nos teclados e GUGA MACHADO na percussão, que com muita propriedade trouxe referências étnicas para a narrativa musical criada pelo SHAMAN.

A produção do disco ficou inteiramente sob a responsabilidade da própria banda.

O álbum foi gravado em São Paulo, no estúdio “FUSÃO VM&T” e a masterizado em Nova York, no Universal Studios, pelo consagrado Mark Santangelo, profissional acostumado a trabalhar com bandas como METALLICA, SLIPKNOT, e outras.

SHAMAN & ORCHESTRA / DVD

Não satisfeito, com esse poderoso disco de inéditas, o SHAMAN ainda incluiu nesse mesmo lançamento um DVD totalmente gravado na Europa, documentando a participação da banda no Festival Masters of Rock of Prague, realizado na República Tcheca, que contou com atrações como EUROPE, NIGHTWISH, EDGUY, RAGE e BLIND GUARDIAN.

No entanto, apenas o SHAMAN levou ao palco a “BOUSLAV ORCHESTRA”, sinfônica oficial da cidade de Praga, com o renomado maestro turco “MUSA GOÇMAN”, conduzindo seus músicos através das partituras transcritas de algumas das melhores composições da carreira do SHAMAN, encerrando a noite com muita classe e estilo.

O repertório apresenta clássicos absolutos como “FOR TOMORROW” e “BLIND SPEEL”, mas ainda foram selecionados “novos” clássicos de álbuns recentes, como “IMMORTAL”, “IN THE DARK”, além das maravilhosas  “TRIBAL BY BLOOD” e “THE YELLOW BRICK ROAD”, (essas duas inclusive, ausências muito sentidas pelos fãs no DVD predecessor “ANIME ALIVE”).

O show é empolgante. Uma platéia de cerca de 40 mil pessoas, entrega-se visivelmente a magia de uma das apresentações mais emocionantes de todo o festival.

Os arranjos do SHAMAN ficaram sob responsabilidade de Fabrízio Di Sarno, tecladista e antigo colaborador da banda.

Nota-se também a alegria e a emoção dos músicos do SHAMAN, não apenas pela resposta emocional do público, mas também por “simplesmente estarem ali”.

De fato, uma noite inesquecível, devidamente documentada nesse DVD de valor histórico.

A “bolacha” ainda tem o já tradicional “Making Of” do evento, onde são exibidas cenas engraçadíssimas e honestas da banda durante a viagem ao concerto.

A direção do DVD “SHAMAN & ORCHESTRA” é assinada pelos próprios músicos e pelo “já comparsa” de empreitadas áudio-visuais, o diretor Carlos Favalli.

Destaques para os capítulos “ENSAIO” e “LOST IN LONDON”, que mostram como os músicos do SHAMAN podem se comportar tanto como grandes ícones da cena ‘Metal’ mundial, bem como simples brasileiros, vivendo deliciosas trapalhadas e aventuras em território europeu.

Sem duvida, SHAMAN & ORCHESTRA é um dos melhores lançamentos do ano do gênero, cuja importância é ainda maior para nós, pois é protagonizado por uma banda brasileira num evento nunca antes conseguido por uma banda aqui, a de tocar na EUROPA acompanhados por uma ORQUESTRA, por tanto… Cheers SHAMAN!!!

LANÇAMENTO “VOICE MUSIC” / SETEMBRO DE 2010.

ORIGINS / história conceitual do disco.

Essa é a história do pequeno Amagat, menino de uma tribo da longínqua da Sibéria, lar dos primeiros Xamãs que se tem notícia.

Sua história tem início no momento em que ao alcançar a idade do “guerreiro” (idade que sua tribo acreditava ser a “idade da transição” de criança a adulto e logo, de civil a guerreiro), Amagat foge acreditando não fazer parte de tudo aquilo.

E justamente nessa sua jornada ao desconhecido, guiado por sua intuição, teria inicio os dez estágios que o levariam a iluminação, por fim, retornando a sua tribo, onde uma vez a deixara tido como um covarde e tendo sua volta, recebida como a de um lider espiritual.

A história

Amagat sempre acreditou ser diferente e não entendia porque deveria lutar.

Para seus pais, isso era vergonhoso, pois diante toda a tribo, seu filho era tido como covarde.

E no dia do seu ritual de iniciação a guerra, Amagat fugiu. Fugiu sem olhar pra trás, apenas correndo pra longe das vozes que o perseguiam, guiado por sua, até então, desconhecida intuição.

Mas mesmo deixando pra trás toda sua tribo, ainda sim essas vozes não o deixavam em paz.

Amagat em sua jornada errante percebeu que sua vida nunca mais seria a mesma…

O que, em um primeiro momento, parecia uma fuga covarde, seria na verdade uma jornada ao encontro de seu destino, ao encontro de seu verdadeiro “eu”…

01 – Origins (The Day I died)

Tem início a jornada de Amagat rumo ao desconhecido.

Achando estar fugindo do “ritual do guerreiro” de sua tribo, Amagat desaparece mata a dentro.

Desnorteado pelas vozes que não o deixavam em paz, Amagat decide uma nova, porém arriscada manobra, que era hora de enfrentá-las, seguir em direção a elas.

Exatamente ao fazer isso, que se depara com uma grande fogueira, situada no centro de uma imensa clareira.

E ao olhar fixamente pra ela, Amagat se dá conta que todo a sua vida havia sido um prelúdio à aquele momento…

Naquela fogueira Amagat viu seu destino… naquela fogueira “morreria” pra sempre o pequeno Amagat.

02- Lethal Awakening

Como nunca antes, Amagat abre seus olhos de uma forma totalmente nova até então, mas a imagem não seria nada agradável…

Imerso a uma densa névoa onde tudo parecia irreal, mas ainda assim, presente e vivo, se tornava cada vez mais forte “um desejo” por ele nunca antes sentido, um desejo vindo não de sua mente, mas sim, de seu interior, um desejo letal para sua condição de ser humano, e que jamais o deixaria outra opção, a não ser a de ACORDAR.

E seu desejo naquele momento passava então a ser a sua razão de ser.

03- Inferno Veil

Tinha início então, uma sucessão de visões, que revelariam os caminhos da intuição para esse novo individuo que um dia fora Amagat.

Envolto a um tornado de emoções, ficava óbvio que o primeiro passo a luz, seria se livrar do medo, pai de todos os sentimentos ligados ao ódio.

Tudo aquilo não fazia sentido. Aquele véu infernal deveria cair… pra sempre!

04- Ego pt.1

Por alguns momentos, Amagat pode sentir quão profunda poderia ser a falsa sensação de “segurança” que o ego podia prover.

Era hora de se opor.

05- Ego pt 2

Começava sua batalha pessoal contra a imagem humana e o poder intenso do “eu do espelho”. Seu “ego” estava morrendo.

Sim, Amagat estava mudando…

06- Finally Home

Estava feito.

Amagat pela primeira vez em sua vida, se sentia completo!

Não havia mais motivos para dor, ódio ou frustração, pois a única coisa eão exxistente naquele momento era a luz que adentrava seu mundo – a luz pela primeira vez, não externa e sim interna.

A sensação agridoce de liberdade que invadia seu ser e a contemplação do todo era tudo que importava naquele momento… ele estava, pela primeira vez, em casa…

07- Rising Up To Life

Não havia mais medo.

Estava claro para Amagat q sua vida nunca mais seria a mesma.

Sua perda da “inocência”, havia o transformado pra sempre.

A vida havia se aberto para ele e ele por sua vez, havia recebido o entendimento absoluto.

Amagat agora tinha ascendido a vida…

08- No Mind

Consciente de sua condição, Amagat passou a olhar para si mesmo, mas sobre outra perspectiva, a do todo.

Sua mente havia sido libertada, nada mais importava no “mundo das coisas”.

A “doença” de sua vida havia sido curada pra sempre.

Sem a mente em seu caminho, era hora de trilhar a real linha de seu destino…

09- Blind Messiah

Sua intuição era, pela primeira vez, seu guia.

“Cego” por sua própria luz, Amagat não mais existia como indivíduo.

Estava claro para ele, essa mesma luz que o cegava era o novo farol do caminho a ser seguido.

E nesse “chamado do todo”, Amagat acorda para a sua nova forma…

A de um “Messias”.

10- Signed, Sealed & Delivered

Estava entregue.

Sua vida seria para sempre um comprometimento com a própria vida, com o “todo”.

Tudo aquilo que havia passado, o fizera simplesmente “entender”.

Não havia mais nada a ser dito ou feito.

Era hora então de retornar ao seu povo e cumprir seu destino.

“Acordado” pra sempre iniciou seu retorno a sua tribo, a sua gente.

E das mesmas trevas por onde desapareceu como “Amagat”, retornou…

Incrédulos a sua volta, ninguém conseguia acreditar q de sua jornada ao desconhecido, a escuridão, Amagat pode retornar e que sua visão agora era eterna…

Seu retorno fora muito celebrado!

E num grande “ritual” eles fizeram uma fogueira em nome do extinto Amagat.

Eles celebraram não só sua morte, mas também seu nascimento, agora como uma lenda.

A lenda daquele que “enxergava no escuro”, ou simplesmente…

SHAMAN.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s